Tabula Rasa

Abril 12 2009

 

Nova adenda:

Para mais fotos sobre a Páscoa em Castelo de Vide sugiro uma visita ao blog Ana Sã

ADENDA

Este post, originou alguns comentários de pessoas que não conheço. Viticastrenses que, como poderão ver, só vêm confirmar o que eu havia dito sobre eles, quer quanto à simpatia, quer quanto à forma como me tratam.

Não posso, por isso, deixar de sugerir a visita a alguns blogs de alguma forma relacionados com Castelo de Vide:

Nunca um morto baliu, padeiria da mari julha e o andarilho.

Destes, e para quem quiser ver fotografias e relatos, a sério, da Páscoa em Castelo de vide deixo os links dos respectivos posts:

A benção dos borregos, a recriação do mercado tradicional, a Celebração da Aleluia e Chocalhada, a procissão da Ressurreição (todos do andarilho). E uma apresentação sobre as colchas nas varandas para a passagem da procissão (na padeiria da mari julha).

Mais uma vez, obrigada.

 

Há algumas semanas falei, se bem que de forma muito sumária, da minha última grande paixão: Castelo de Vide. Hoje volto ao tema, e desta vez com um sentimento (ainda) mais forte. O fim-de-semana foi absolutamente inesquecível!
Considero os portugueses, em geral, como gente simpática e muito hospitaleira. No entanto, existe uma “sub-espécie” absolutamente única: os Castelo Videnses. Confesso que, no início, ainda pus a hipótese de ser sorte minha a de só encontrar pessoas extremamente simpáticas, por pura coincidência…hoje sei que não, que são mesmo pessoas únicas. E os que assim não forem serão, com toda a certeza, raríssimas excepções.
Desde os funcionários do hotel que me receberam como se já fosse cliente de há anos, passando pelos cafés, bares e restaurantes, a atenção e amabilidade foram uma constante, aliados a uma simpatia e a um cuidado, absolutamente únicos.
Foi a quinta vez que estive em Castelo de Vide e já tenho amigos com quem me relaciono como se os conhecesse há anos. Sou recebida nas casas deles com honras a que não estou habituada e que não posso retribuir.
Os dias foram passados de casa em casa intercalando almoços e jantares, com festividades da Páscoa…e que Páscoa!
Confesso que as celebrações da Páscoa em Castelo de Vide, foram das experiências mais intensas em que participei, no domínio religioso. Aqui, a Páscoa consegue reunir em três dias tradições judaicas, cristãs, pagãs e civis.
Mesmo que tentasse fazer a descrição de tudo não conseguia, por isso, limito-me a salientar os momentos mais marcantes.

No Sábado, logo pela manhã é feita a bênção dos borregos, em frente da Igreja Matriz e pelo Sr. Padre, reminiscências judaicas e bem ao jeito das actuais cerimónias de purificação da carne feitas pelos Judeus (kosher).

No final da tarde, foi inaugurado o Núcleo Museológico da Sinagoga. Um belo edifício muitíssimo bem recuperado, com um projecto da Arquitecta Susana Bicho. Na sinagoga destaco duas coisas imperdíveis: a sala memorial, um espaço muito bem conseguido, com uma carga simbólica enorme, uma sala vazia, em que as paredes contém os nomes das famílias de Judeus vitimas da Inquisição, e o chão do piso inferior – todo em vidro -, de modo a permitir a visão de dois silos de dimensões absolutamente únicas!

À noite, a celebração da Aleluia, com aquele que foi, para mim, o momento mais intenso das celebrações. A missa é uma celebração comum do Sábado de Aleluia, com a Igreja Matriz apinhada de gente e com uns milhares de pessoas de todas as idades no largo exterior à Igreja a aguardar pelo final da missa. No final, mal o Sr. Padre profere as palavras de Aleluia, perto das 23.00h, a igreja inteira, bem como as pessoas todas que estão no exterior, irrompem numa explosão de alegria em que todos abanam um chocalho, que até ali estivera escondido, dando origem à “Chocalhada”.
O momento é único e absolutamente indescritível, velhos, novos, crianças, todos, mesmo todos têm um chocalho na mão que abanam com intensidade e alegria. Além de único, o momento é forte…, muito forte…que o digam os mais próximos a quem telefonei inopinadamente, só para partilhar um momento que sei que iriam gostar. E ali fiquei, um bom bocado, com emoções não contidas, lágrimas a escorrer pela cara abaixo e um sorriso apatetado na cara. Depois, foi divertimento noite fora, a seguir a banda, sempre a chocalhar, pelas ruas!
Hoje, pela manhã, outro momento único: a Procissão da Ressurreição. Desengane-se quem pensa que este é mais um acto religioso. Nada disso. Esta é uma procissão organizada pelos representantes do Município, presidida pelo Presidente da Câmara em que a Igreja é apenas mais um convidado. Especial, é certo, mas apenas mais um.
Em frente aos Paços do Concelho é feita a recepção pelos representantes do Município às entidades civis (com representantes de todas as instituições, colectividades, associações, hotéis e demais grupos que estejam organizados em comunidade), e militares, com a fanfarra e o corpo dos bombeiros em parada.

 

De seguida, já em procissão, contornam a Igreja Matriz e entram pela porta principal, indo ao interior convidar as entidades religiosas a participarem na procissão. Prosseguem depois, numa procissão com centenas de pessoas e que se estende por quase 1 km. Depois de percorrerem as principais ruas, voltam a entrar na Igreja Matriz, para a missa de Páscoa. Uma missa solene, este ano abrilhantada pelo magnífico coro de Castelo Branco (mesmo muito bom!).
Tenho de reconhecer que foram as cerimónias pascais de que mais gostei até hoje (e isto dito por quem viveu em Braga mais de 10 anos!!!). Gostei, sobretudo pela diferença, pela espontaneidade das cerimónias. Pelo facto de serem vividas por todos, sem excepção. Por perceber que são uma forma de união e de identificação das gentes de Castelo de Vide e, principalmente por não se ter transformado numa festa “pimba”! Apesar de tudo, faltou-me uma coisa…beijar o compasso, algo que, por estas bandas, ninguém ouviu falar. Mas, amanhã resolvo isso, porque em Esposende, o compasso também passa na Segunda-feira e eu, tenho de voltar à rotina.
Obrigada aos meus queridos amigos por me terem proporcionado esta experiência única. Na próxima Páscoa voltarei, com toda a certeza!

 

publicado por Cristina às 23:30

Cristina: fez um óptimo postal turístico - quase antopológico:). E assim, consigo, foi como se estivesse lá estado!:)
Lúcia a 14 de Abril de 2009 às 10:12

Obrigada Júlia!
Por muito que diga, não faço jus ao que por lá se passou.
É imperdível, único!!!

Lúcia, Lúcia :))
Lúcia a 14 de Abril de 2009 às 17:16

Desculpe, Lúcia!
(a Júlia devia estar a pensar em mim...) :-)

:) Tb é um nome bonito, portanto... no problem!:)
Lúcia a 14 de Abril de 2009 às 19:23

Mais do que isso Lúcia, a Júlia também é uma pessoa bonita!

Melhor ainda:)
E já vi que o texto que fez deu brado. Parabéns!:)
Lúcia a 14 de Abril de 2009 às 21:02

...é a simpatia dos viticastrenses!
Cristina a 14 de Abril de 2009 às 22:20

espero que não se importe, citei-a na padeiria da mari julha.

http://marijulha.blogspot.com/2009/04/pascoa-em-castelo-de-vide-vista-pelos.html
pêro boi a 14 de Abril de 2009 às 14:47

Eu é que agradeço o destaque! :-)

Parabéns pelo seu Blog, um grafismo excelente e óptimas fotos!
Cristina a 14 de Abril de 2009 às 17:17

Mais do que ler os teus "escritos", é ver a tua cara, pois que tive o privilégio de me teres contado pessoalmente o teu fim-de-semana de Pascoa em Castelo de Vide. Assim, via-se o brilho nos olhos enquanto relatavas os acontecimentos, e que traduzia a emoção que sentiste em todas as manifestações culturais/ religiosas/ pagãs e, sobretudo, de amizade incondicional de que foste alvo nestes ultimos dias.

Um grande beijo, ja de Paris,
FNY
Anónimo a 14 de Abril de 2009 às 21:16

É mesmo, assim meu querido amigo, foi uma experiência inesquecível!
Olha, dá saudades minhas a essa terra linda e aproveita bem estas últimas semanas.
Um grande beijinho para ti :-)
Cristina a 14 de Abril de 2009 às 22:23

Olhe que bem :-)
J.M. Coutinho Ribeiro a 14 de Abril de 2009 às 22:39

Tem de lá ir, tenho a certeza que vai adorar! :-)
Cristina a 14 de Abril de 2009 às 22:47

Cristina,

Vim parar ao seu blog ao ler o marijulha. Sou de Castelo de Vide e nem sei que diga à sua descrição da nossa Páscoa. É a altura do ano que mais gosto de passar na minha bela terra porque adoro as suas tradições. Obrigada pelas palavras que lhe dedicou.
Depois aproveitei para ler algumas das coisas que tem escritas e deixe-me que lhe diga que não consegui parar de ler até ao fim. Continue assim!!:)
Ana a 15 de Abril de 2009 às 00:28

Ana, muito obrigada pelas suas palavras. A sua terra é, realmente magnífica e vocês, pessoas especiais.
Quem sabe um destes dias não nos cruzamos por lá?
Volte sempre! :-)
Cristina a 15 de Abril de 2009 às 12:17

Cristina, pouco a propósito do seu post, mas se calhar a propósito da Páscoa, escrevo-lhe para lhe dar conta que "apaguei" o meu blog... E peço desculpa por o ter feito sem "aviso prévio"... mas já não se justificava... O blog nasceu da minha vontade de ocupar um espaço vazio... e como esse espaço está (felizmente) novamente ocupado, pouco tempo me resta livre... É que sou uma mulher tão apaixonada que vivo tudo a 500%... Pode ser q entrett, tenha paciência para uma nova criação, da qual, como é óbvio lhe darei conta... E manterei o título, como é óbvio, pq afinal, o que é a vida para além de uma (fantástica) aventura dos sentidos?

Um beijinho e obrigada pela companhia
A Aventura dos Sentidos
A Aventura dos Sentidos a 15 de Abril de 2009 às 09:08

Tenho pena que tenha apagado o seu espaço, como sabe era um doa habituais.
Fico muito contente que o tenha feito pelos melhores motivos :-), e concordo que essas coisas têm de ser vividas a 500%! Aproveite bem esse seu estado que é maravilhoso.
Fico à espera que tenha um bocadinho de tempo para o blog e, por isso, não o retirarei dos meus favoritos!
Um beijinho para si, e eu é que agradeço a companhia!
Cristina a 15 de Abril de 2009 às 12:23

olá cristina,

ainda bem que gostou assim tanto da nossa páscoa e obrigado pelo destaque na adenda deste post. também já faz parte dos meus favoritos, como não podia deixar de ser.
como bom viticastrense que sou, andei à procura do seu moinho. se é o que eu penso que é, o único sentimento que me invade, apesar de saudável, é inveja!
jc a 15 de Abril de 2009 às 17:54

jc, a vossa Páscoa é FA-BU-LO-SA!!!
Quanto ao moinho (suspiro) é realmente o meu tesouro! É lindooo! (agora sorriso de orelha a orelha!)
Como sou uma naba nestas coisas, não lhe consigo dar as coordenadas google, mas digo-lhe que o terreno confina com a Ribeira de Vide.
Devo lá voltar no 3º fim de semana de Maio. Por isso, se estiver por lá, diga!
Cristina a 15 de Abril de 2009 às 18:43

Obrigada pela resposta Cristina! É verdade... quem sabe se não nos cruzaremos por lá?!
Mas assalta-me uma dúvida depois de ler o seu blog... tem família em Castelo de Vide é? Como surgiu a iniciativa de visitar a nossa bela terra?
Ana a 15 de Abril de 2009 às 23:41

Olá Ana,
Castelo de Vide, foi "amor à primeira vista"! A primeira vez que visitei foi em 2007 e fiquei "presa" à terra e, principalmente, às pessoas. De tal forma assim foi, que num acto impulsivo comprei um velho moinho em ruínas que, um dia gostava de poder recuperar. :-)
Deixo-lhe o link de um post que fiz há algumas semanas sobre Castelo de Vide, onde conto um pouco da história!
http :/ tabularasa.blogs.sapo.pt 21903.html
Cristina a 16 de Abril de 2009 às 16:41

Olá :-)

Como vticastrense, quero agradecer-lhe as palavras acerca de Castelo de Vide e suas gentes. Será sempre bem-vinda... Na Páscoa e durante o resto do ano... Porque Castelo de Vide não é só Páscoa.
Se é fã de Castelo de Vide, eu fiquei seu fã! Um dia encontramo-nos por aqui, ok?

Até breve!

Joaquim
( bonsaikmk@hotmail.com )
Joaquim a 17 de Julho de 2009 às 00:38

Olá Joaquim,

As palavras são mais do que merecidas!
Realmente Castelo de Vide é muito mais do que a Páscoa, sempre que posso dou lá um salto. Amanhã estou de abalada para uns dias que, sei, serão muito bem passados!!!
Fica a promessa de "um copo"!
Cristina a 20 de Julho de 2009 às 11:11

Olá Cristina.
Bom dia.
Procurava eu umas informações sobre rituais pascais quando de repente dou conta que a Cristina semeia fãs com o seu cântico à Páscoa de Castelo de Vide. Parabéns.
Neste preciso momento estou a fazer o texto do novo folheto genérico de Castelo de Vide (já merecia, eu sei!); e, de repente, sinto-me inferiorizado perante os seus dotes literários.
Tem que continuar a alimentar os seus amigos virtuais... Eu sei... mas, por outro lado, o Francisco também pode ser o elemento ainda mais inspirador.
Bjinho
Abraço ao Sérgio.
AP
Anónimo a 17 de Janeiro de 2011 às 23:26

Ai meu Deus, AP!
Este era um blog quase desconhecido, uma espécie de blog-de-trazer-por-casa...até falar em Castelo de Vide!!!
Fiquei corada com as suas palavras e elogios imerecidos, mas compreensíveis pela amizade que nos une.
Vocês representam tudo o que eu digo dessa terra. São vocês que me fazem querer voltar sempre, sempre!
Os meus agradecimentos, sinceros, nunca serão suficientes...
Um beijinho para todos :-)
Cristina a 21 de Janeiro de 2011 às 15:33

Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

13
14
17




pesquisar
 
blogs SAPO