Tabula Rasa

Fevereiro 18 2009

 

 

No dia em que se inicia o julgamento do genocídio no Cambodja, o testemunho do contributo possível da Arqueologia para a descoberta da verdade.

 

"(...) A Arqueologia também 'empresta' os seus métodos à Antropologia médico-legal ou forense: Bill Haglung (...) mostra aqui [no livro] o admirável trabalho efectuado pela ONG Physicians for the Human Rights nas valas comuns argentinas, jugoslavas, ruandesas e kosovares. Esta Arqueologia específica dialoga com o abjecto, o inadjectivável, o impensável, o indisível... Por isso, ela deve ser exercida para dar aos tribunais penais os elementos de prova requeridos pela administração da justiça, e para permitir aos sobreviventes fazer o luto dos entes próximos. Nós preferiamos que a nossa época se dedicasse apenas aos neandertais, ao Homo erectus e ao Neolítico; mas é preciso que o nosso século faça também a arqueologia dos genocídeos".

Jean-Paul Demoule (2008) L' Avenir du Passé. Modernité de l'Archeologie, Inrap/ La Découverte, p. 12 (tradução livre feita por S.M.R.)

publicado por Cristina às 10:15

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15

28


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO